A Conferência Nacional em Defesa Agropecuária (CNDA) se internacionalizou. Este ano, presidida pelo MV  Paulo Emílio Torres, que também é conselheiro do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Bahia (CRMV/BA), a atividade elegeu alguns dos temas mais importantes do setor, visando a troca de experiências, a atualização, e a busca de soluções para a sanidade animal e agrícola no país.

Na tarde do dia  da abertura, os organizadores receberam o senador pela Bahia, Roberto Muniz (PP-BA) que falou sobre o Projeto de Lei (PL) 379/2016, de sua autoria.  Com o objetivo de disciplinar o repasse de recursos federais aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios para apoio às ações de defesa agropecuária, o PL quer destinar percentuais fixos para as ações de inspeção e de controle da sanidade na agropecuária.

Também na terça-feira (05 de junho), ocorreu uma reunião institucional na qual foi lembrado como exemplar o combate contra a febre aftosa no Brasil feita pelos  médicos veterinários.

Eixos temáticos

Dividida em diversos eixos temáticos como “Desburocratização e eficiência”, “Conquista de mercado” e “Inteligência e modernização”, a Conferência trouxe palestras sobre “O papel do Fiscal Agropecuário”, “Rotulagem de Produtos de Origem Animal” e sobre “Bem Estar Animal”. A programação, que pode ser consultada aqui, foi classificada como ampla e abrangente, pois teve palestras, mesas redondas, encontros técnicos e mini-cursos.

Presente todos os dias, o MV Lúcio Leopoldo da Silva (foto acima, blusa clara), conselheiro do CRMV/BA e professor da Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia (EMEVZ) da Universidade Federal da Bahia (UFBA), declarou que “o evento preencheu as expectativas, mesmo com as dificuldades pelas quais passa o país”.

Também estiveram na Conferência a Secretária-geral do CRMV/BA, MV Marilene Caldas e a Assessora Técnica da Autarquia, zoot. Isa Porto Meireles (foto acima, a quinta pessoa da esquerda para a direita na última fila).  A MV Marilene Caldas tem um importante lugar na história da defesa animal da Bahia, por ter  sido Coordenadora do Programa Nacional de Combate à Peste Suína clássica, que tornou o estado livre da doença pelo Office Internacional des Epizooties,  O.I.E.

(Acima,o MV Maurício Silva -blusa escura-
aguarda o momento de proferir sua palestra)  

 

Entre as diversas atividades, já no último dia do evento, o ex- tesoureiro do CRMV/BA, MV Maurício Costa Alves da Silva, professor da EMEVZ-UFBA falou sobre “Bem Estar na cadeia produtiva de carne”.

Ocupando toda a manhã da quinta-feira,  o MV Fernando Fernandes, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MAPA, deu um mini-curso sobre “Norma Interna 1- Novas Diretrizes de Autocontrole na Indústria de Produtos de Origem Animal”. 

Tendo o cuidado de falar com clareza, ele conseguiu trazer para o público  os tópicos mais importantes da normativa em questão, deixando claro que é a indústria que tem que se responsabilizar pela qualidade do produto. O fiscal agropecuário tem a função de verificar o cumprimentos das normas.

Ele explicou que a Norma Interna 1 reune e atualiza diversas atualizações da legislação do setor com o objetivo de garantir a qualidade dos produtos.

O presidente da Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária  (SBDA) e do evento, MV Paulo Emílio Torres (foto acima), lembra a importância do Brasil como produtor de alimentos o que exige a modernização da Defesa Agropecuária,  tornando a realização de um evento deste porte algo fundamental para o PIB brasileiro.

Dias: 05 a 07 de junho de 2018

Local: Bahia Othon Palace- Ondina/ Salvador

Tema: Moderniza Defesa: Processos, Serviços e Sustentabilidade

 

Ascom CRMV/BA, 07 de junho de 2018

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.