O exame foi realizado em 2019 e divulgado oficialmente em dezembro de 2020

  • Os cursos de Medicina Veterinária e de Zootecnia da  Bahia obtiveram resultados de destaque no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade),  que avalia a performance dos concluintes da graduação.

    Aplicada a cada três anos desde 2004, a prova é obrigatória para a emissão do histórico escolar, sendo confeccionada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação (Mec).  Atualmente, pelo site do  e-mec, são 26 cursos de Medicina Veterinária  e 06 de zootecnia  autorizados no estado.

    Os cursos da Medicina Veterinária da Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob), da Universidade Federal da Bahia (Ufba), da  Faculdade Anísio Teixeira  (Fat)  em Feira de Santana, da  Universidade de Tecnologia e Ciência (UniFTC), também de Feira de Santana e o curso de Zootecnia da Universidade Federal da Bahia alcançaram posições relevantes.

    O presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Bahia (CRMV/BA), Altair Santana de Oliveira, comentou os resultados: “vivemos momentos difíceis que interferem diretamente na qualidade dos cursos de medicina veterinária e zootecnia, como: a proliferação desenfreada de faculdades, o EAD e agora a pandemia. Ver cursos da Bahia com notas altas e se destacando no país nos enche de alegria e esperança. Precisamos lutar muito para garantir um ensino de qualidade e essas faculdades demonstram que, em meio a tantos problemas, é possível, que há condições de fazer melhor e alcançar a excelência. Com muito orgulho eu dou meus parabéns e desejo que todas elas mantenham a qualidade e, sejam o bom exemplo a ser seguido. Aplausos de pé!”, enaltece o gestor do Regional baiano.

    A seguir veja um pouco mais sobre essas instituições vitoriosas.

  • No Enade 2019 o número cinco foi de  brilho para o curso de Zootecnia da Escola de Medicina  (Emevz), da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

    Obteve a nota máxima, cinco, no Enade, um degrau acima do exame anterior, quando havia obtido a nota  4, com isso ficou entre os cinco melhores cursos do país.   

    Apenas cinco cursos de Zootecnia no Brasil alcançaram o ápice e no nordeste, a Ufba foi a única instituição a conseguir esse patamar.

    São  22 docentes (foto acima), todos doutores, um deles é o professor doutor Gregório Camargo (foto abaixo), coordenador do curso de Zootecnia, que está na Ufba desde 2016.  Pesquisador na área de Genética Molecular Aplicada ao Melhoramento Animal, Camargo ocupa pela segunda vez a coordenação do curso, tendo sido reconduzido ao cargo recentemente.

    Zootecnista, Gregório Camargo explica que a nota do Enade envolve o desempenho dos concluintes e esses obtiveram boas notas,  “mostrando a qualidade dos zootecnistas que estão sendo formados e a qualidade do ensino”, afirma.

    Outro componente destacado  é a qualidade da estrutura física da unidade de ensino  e as fazendas experimentais.  Ele ainda assinala que os docentes são envolvidos em atividades de pesquisas e que essas pesquisas, por sua vez, ajudam a captar recursos para serem usados em laboratórios ou insumos.

    Hoje o curso de Zootecnia da Ufba tem cerca de 200 alunos (parte deles na foto acima), ingressando por volta de 30 a 35 estudantes a cada semestre e formando entre 07 a 08 também a cada semestre.

    Alcançar a nota máxima  foi um desafio, pondera Camargo, pois faltam verbas na universidade pública aumentando a dificuldade em manter a grade de ensino “mas ainda assim, conseguimos oferecer uma educação de qualidade”.

    A boa notícia já foi comemorada informalmente entre alunos e professores, sendo levada  oficialmente à Congregação da Ufba pelo coordenador no último dia 17 de dezembro de 2020.

    Referência

    Presidente da Comissão de Ensino em Zootecnia do CRMV/BA, Analívia Barbosa (foto abaixo), também professora doutora do curso de Zootecnia da Ufba festeja “é um curso novo, de 11 anos e já conseguimos um reconhecimento. Temos uma equipe de professores engajados, dedicados”. Ela foi vice-coordenadora do curso e disse que o resultado superou as expectativas “surpreendeu, a gente não esperava essa conquista tão rápida, mas como trabalhávamos pra isso, foi muito gratificante. Não só o 5 mas, principalmente sermos entre os 5 melhores do país e o 1º do Nordeste. Somos referência”, comenta a professora.

    Analívia Barbosa não acredita que o patamar atual seja um teto “ainda temos muito o que crescer”, afirma.  E detalha o papel do  CRMV/BA no processo “temos outros cursos de Zootecnia que atendem à Bahia, que é um Estado muito grande, são cursos de qualidade e mantemos contato junto a Comissão de Ensino do CRMV, a fim de equalizar as diretrizes”.

    Diretor executivo do CRMV/BA e professor doutor da Emevz-Ufba, o médico-veterinário Rodrigo Bittencourt  também celebra o rendimento dos cursos baianos “para nós, do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Bahia, é muito importante saber que temos cursos cumprindo o seu papel de formar profissionais com excelência.  É o Conselho que habilitará o exercício profissional e atuará como Tribunal de Honra na fiscalização e no cumprimento dos preceitos éticos e do bom exercício profissional médico-veterinário e zootécnico.  Assim, é muito bom saber que temos cursos no estado que estão entre os melhores do Brasil.”

  • Ao término da prova, o coordenador do curso de Medicina Veterinária da UniFTC em Feira de Santana, médico-veterinário Gustavo Brandão (de capelo branco na foto durante solenidade em janeiro de 2019),  doutorando em  Biotecnologia,  disse que notou que o desempenho dos seus concluintes tinha ultrapassado as expectativas e que  esperava algo bom, mas a nota 4 foi surpreendente.

    No exame anterior,  o curso recebeu  nota 2. Notando isso, em 2019, a coordenação do curso decidiu envolver professores e estudantes para a importância do exame “todos abraçaram o Enade, tivemos aulas de revisão aos sábados e até à noite”, relata Gustavo Brandão.

    IDD

    Coordenando o curso de Medicina Veterinária desde 2010, ele conta que hoje são 325 alunos, ingressando a cada ano entre 30 a 35 primeiranistas.

    Além do progresso na nota, o coordenador ressalta ainda o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD) obtido pela instituição, que basicamente compara como o aluno entrou na instituição [via Enem -Exame Nacional do Ensino Médio-] e como saiu [verificado pelo Enade]: “isso nos deixa muito felizes, mostra que temos interferido positivamente na vida do aluno”, declara o coordenador. Ele ainda completa “às vezes temos alunos muito jovens, imaturos e com dúvidas se estão no curso que realmente desejam e conseguimos educá-los bem”.

    Ele destaca ainda que  “a nota geral do nosso curso ficou 5. A nota do Enade foi 4, mas com as outras médias e pontuações do curso, ficamos com a nota geral 5”, pontua.

  • Outro resultado relevante veio da cidade de Feira de Santana; o  curso de Medicina Veterinária da  Faculdade Anísio Teixeira  (Fat) alcançou a nota 4 no Enade.

    Fundada há 20 anos, hoje a Fat tem 14 cursos. O de Medicina Veterinária foi criado há sete anos  e já está formando a quarta turma.   No total são cerca de 400 alunos no curso e 23 alunos  concluintes de 2019 se submeteram ao Enade.

    Médico-veterinário, o coordenador do curso, professor Márcio Reis fala da preocupação com a  qualidade do corpo docente:  são 29 professores com titulação de mestres e doutores, sendo que  quase 40% deles são doutores, escolhidos por, além da  titulação, possuírem experiência acadêmica prévia.

    Laticínios

    Márcios Reis elenca a estrutura do curso, que tem prática com grandes e pequenos animais.  Para as aulas com os grandes, a faculdade tem uma propriedade de quase duzentas tarefas, que era uma  fazenda de leite.  Hoje é um laticínio experimental que tem também  bovinos, caprinos, suínos.

    Dentro da cidade, os alunos tem aulas em uma  clínica-escola de pequenos animais  em Feira de Santana.

    O coordenador do curso garante que a nota 4 “faltou pouco para nota cinco”.

    Primeira vez

    Essa foi a primeira experiência do curso no Enade e o coordenador mostra que tem apetite para chegar mais longe “ficamos felizes, mas queremos obter a nota cinco, vamos continuar  com nosso trabalho,  com humildade, mas tendo esse objetivo, sempre pensando em crescer e melhorar, fornecer um ensino de qualidade aos nossos alunos.  Já conversamos com a direção o que pode ser melhorado no curso”, relata empolgado.

  • O curso-mãe de todos os demais  do estado, criado em 1951, o  de Medicina Veterinária da Universidade Federal da Bahia hoje é coordenado pelo médico-veterinário Professor doutor  Thadeu Mariniello Silva.  Cria da Emevz,  ele conta que ficou satisfeito com a nota 4.

    Thadeu Mariniello Silva relata que ocorreram  problemas em edições passadas, como a baixa adesão dos discentes, que podem apenas assinar o nome e entregar o exame. Isso não tem penalidade para o estudante, mas baixa o score da instituição.

    Como consequência da nota do Enade de 2013, o curso  chegou a receber visita de técnicos do Ministério da Educação, que avaliaram a estrutura física e a matriz curricular.

    Depois de um trabalho de conscientização, em 2016, a classificação que era 142º no Brasil subiu para 75º e em  2019,  “sem qualquer curso preparatório”, ressalta Thadeu Mariniello, o curso alcançou a posição 18º.

    Composição

    A nota obtida pelos estudantes é 20% do total da avaliação: “possuir mestres e doutores formam mais 30% da nota. Note que  90% dos nossos professores têm esses títulos acadêmicos”, explica Mariniello.

    Depois de tudo tabulado (notas de alunos, titulações dos docentes, estrutura física etc) ocorreu um decréscimo inesperado de 18º e primeiro do Norte, Nordeste e Centro Oeste para 31º.

         Resultados desde 2010: 

    44º em 2010

    142º em 2013

    75º em  2016 e

    31º em 2019, representando resultados ascendentes

    Fazendas e hospital

    Entre algumas considerações trazidas pela avaliação, o professor  teoriza se o fato das federais serem a primeira opção da maioria dos estudantes no Enem não pressiona a qualidade de entrada para cima, baixando o IDD (a diferença entre entrada e saída da faculdade) o que compromete a nota de algumas escolas no país.

    Mantida a nota 4, agora o curso de Medicina Veterinária deseja analisar a planilha, compreender como os dados são colhidos e o que significa cada um deles. Isso vai ajudar a definir as prioridades e postura frente ao próximo exame.  Porém, “mais importante que uma avaliação é ressaltar os itens considerados valorosos para o curso”, diz Thadeu.  Ele explica:       “hoje, poucas universidades no país possuem três fazendas experimentais como temos na Ufba.  Nossa escola tem essa gama de opções muito variada. Nosso hospital veterinário é atuante e muito procurado pela comunidade”. 

  • Criada em 2013, a Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob), tem o curso de Medicina Veterinária no campus da cidade de Barra, às margens do Rio Grande,  situada a 676 km de Salvador.

    Em 2020, a Ufob formou a primeira turma de médicos-veterinários tendo alcançado  nota 4 no Enade.

    A coordenadora do curso de Medicina Veterinária, médica-veterinária Larissa José Parazzi,   atribui o bom resultado  ao “esforço de tod@s: professores, técnicos, terceirizados, além de tod@s que trabalham na administração no campus Barra e em Barreiras. Tod@s estão envolvidos”,  afirma taxativa e inclusiva.

    No entendimento dela, essa posição no ranking não traz maior responsabilidade para o corpo docente, pois “confirma que estamos no caminho certo para continuar e fazer nosso trabalho cada dia melhor, enfrentando as dificuldades e levando ensino de qualidade aos estudantes. Sem dúvida, é um estímulo para buscarmos a nota máxima”, esclarece.

    Atualmente são  cerca de 234 estudantes e 18 concluintes fizeram o Enade pelo curso de Medicina Veterinária da Ufob.

    Jairo Torres, diretor do campus e ex-coordenador do curso,  falou do sentimento gerado pela boa colocação “Considerando que somos um curso novo [criado em 2014, no ano seguinte à fundação da Ufob], e esta foi nossa primeira avaliação de ENADE, recebemos com muita felicidade e senso de responsabilidade e prudência. Felicidade pois entendemos que estamos no caminho certo, mas com responsabilidade e prudência, pois sabemos que temos muito a melhorar, sobretudo no que tange à Infraestrutura Física do curso e ajustes metodológicos aos novos desafios”, pondera.

    Ele cita a localização geográfica do curso e concorda com a professora Larissa que a nota é uma êxito de todos “esse resultado, junto a avaliação de nível 4, que recebemos ano passado na visita presencial do MEC, é uma conquista de todos(as): estudantes, apoio terceirizado e técnicos administrativos em educação e professores. Nos deixa ainda mais orgulhosos, considerando as dificuldades de estarmos em uma cidade pequena do sertão baiano, longe dos grandes centros urbanos”.

One thought on “Desempenho acadêmico de cursos de Medicina Veterinária e da Zootecnia do estado é destaque no Enade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.