O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Bahia, por meio da Comissão Regional de Animais Selvagens e Meio Ambiente (Crasma), realiza nesta sexta-feira (31), a live Zoológicos: Do século XVIII ao futuro.

Com transmissão gratuita pelo Instagram do regional baiano (@crmvba), a partir das 19h, esse panorama será traçado pelos médicos-veterinários Paulo Bahiano, que integra a Crasma; e Gerson Norberto, diretor-presidente da Fundação Zoológico de Brasília e ex-diretor do Zoológico de Salvador.

Os zoológicos são, em sua maioria e concepção, entidades de conservação e proteção de diversas espécies de animais. Eles existem há, pelo menos, quatro séculos e, só no Brasil, são mais de cem instituições, que reúnem em seus plantéis mais de 75 mil animais, entre eles, centenas de espécies ameaçadas de extinção. Mas, por que os abrigos, que têm como finalidade a proteção das espécies, são alvos de constantes controvérsias? Essa é uma pergunta para a qual os argumentos prós e contras são os mais variados.

Entre os que são contra, as justificativas vão dos que consideram como crueldade manter animais selvagens enjaulados, passando pela crença de que animais selvagens podem desenvolver neuroses e outras doenças em cativeiro. Também há quem defenda os santuários ecológicos – que, por lei, são mantenedores de fauna – como potenciais substitutos dos zoológicos como conhecemos.

Do outro lado, há o fato de que os animais resgatados ou aqueles que nascem fora da natureza muitas vezes não podem ser soltos no habitat natural. A função educativa também é outro viés do panorama, uma vez que os zoológicos ajudariam crianças e adultos a criarem consciência ambiental durante as visitas. Passeios que, inclusive, geram receita com os ingressos e financiam atividades de conservação, pesquisa e educação.

Mas, qual é o papel dos zoológicos e para que eles existem, afinal? “Estamos em um cenário de diversos questionamentos sobre a necessidade de existência de zoológicos e qual o seu real papel. Porém, todos sabemos do passado e do presente deles ou temos apenas impressões? E qual seria o zoológico do futuro? Existe um futuro para o zoológico? Existe um futuro para o meio ambiente? Existe um futuro para a fauna, flora e para a humanidade? É sobre isso que vamos falar nessa live”, explica Bahiano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.