25 de janeiro de 2018- CFMV

A dose da vacina contra a Febre Aftosa passará de 5 mililitros para 2 mililitros. A decisão foi divulgada na Instrução Normativa nº 11 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa),  publicada na última segunda-feira (22/01), no Diário Oficial da União (DOU). Um dos principais objetivos com a mudança é redução do volume de óleo mineral, que também diminui as chances de reações alérgicas no local da aplicação.

Segundo o Mapa, com a não ocorrência de focos da doença no país desde 2005, a tendência é de que haja a suspensão gradativa da vacinação. “Não há necessidade de utilização de vacinas que induzam resposta rápida, mas que assegurem a manutenção de resposta longa”, declarou a área técnica do órgão.

Dessa forma, também foi alterada a avaliação da potência de cada partida de vacina de 28 para 56 dias pós-vacinação, para as vacinas já registradas; e a implantação da avaliação aos 168 dias pós-vacinação, além da avaliação aos 56 dias, para vacinas em processo de registro ou de alteração pós registro.

Para o Mapa, a adequação dos métodos de controle de potência e de tolerância que serão submetidas cada partida de vacina produzida, garantirão a eficácia e a segurança do produto. Países como Argentina, Uruguai e Bolívia já adotam essa prática, com resultados satisfatórios, tanto em relação à diminuição às reações, quanto na preservação da potência da vacina.

A nova vacina deve chegar ao mercado, segundo expectativas do Mapa, no segundo semestre de 2019.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.