A campanha de mobilização   é uma iniciativa de  professores universitários, cientistas, estudantes, pesquisadores e técnicos  em defesa  da manutenção de recursos  federais nas áreas de ciência, tecnologia e humanidades e contrária  ao abandono das universidades públicas e dos institutos de pesquisa no Brasil.

A direção do movimento está fazendo uma petição on line para ser entregue  na Câmara dos Deputados em setembro e espera reunir 50 mil assinaturas até o dia da audiência em Brasília.

A verba congelada de recursos destinados à área de CT&I e Comunicação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, MCTIC,  já chega a R$ 425 milhões, representando um corte de 55,36% em relação ao que estava previsto na Lei Orçamentária Anual de 2017 (LOA 2017).

Estes cortes afetam programas estratégicos, como o Sirius, uma das únicas fontes de luz síncrotron de quarta geração do mundo e a implantação do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB), de produção de radioisótopos, desenvolvido pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).

A campanha quer sensibilizar o governo e a sociedade para o que é produzido  nas universidades e nos institutos de pesquisa e as consequências negativas do desmonte  deles para a sociedade brasileira

Os organizadores defendem que  a pesquisa  científica é fundamental para o progresso tecnológico do país e para a melhoria dos indicadores sociais da população.

#ConhecimentoSemCortes

Fontes: SBPC e  Site Conhecimento sem Cortes,

ASCOM CRMV/BA, 02 de agosto de 2017-

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.