O Guia de Uso Racional de Antimicrobianos para Cães e Gatos foi lançado na quinta-feira (23.06.2022), em evento na Universidade de Brasília (UnB), e o documento foi publicado na sexta-feira (24), no portal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Esse guia foi elaborado pelo médico-veterinário Rodrigo Rabelo, sob coordenação do Mapa, em parceria com o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV).

O documento propõe um equilíbrio entre as informações técnicas e científicas, em um formato atrativo e de fácil consulta, e oferece elementos básicos para que o médico-veterinário viva e promova o uso racional dos antimicrobianos em sua prática diária.

Na cerimônia de lançamento do documento, o presidente do CFMV, Francisco Cavalcanti de Almeida, foi representado pelo tesoureiro da autarquia, José Maria dos Santos Filho, que enalteceu a iniciativa de elaborar um material que servirá como fonte de consulta para médicos-veterinários do país. “Ao contribuir para a construção deste manual, o CFMV cumpre seu papel de órgão de consulta e orientação em questões que envolvem a Medicina Veterinária e a Zootecnia. Esse documento também norteará vários trabalhos internos da autarquia”.

Da esquerda para a direita: coordenador-geral de Produtos Veterinários, Marcos Vinícius de Santana Leandro; auditora fiscal do Mapa Suzana Bresslau, coordenadora da Comissão sobre Prevenção da Resistências aos Antimicrobianos; Maralice Cotta, auditora fiscal do Mapa; Rodrigo Rabelo; José Filho; e Glaucia Bueno, professora da Faculdade de Veterinária da UnB

O secretário-geral do CFMV, Helio Blume, que é conselheiro da World Veterinary Association/Associação Veterinária Mundial (WVA) para a América Latina, destacou a relevância do guia como contribuição brasileira à comunidade Veterinária internacional.

“A indústria farmacêutica é uma das quatro políticas de atuação da WVA e a resistência aos antimicrobianos está sendo fortemente trabalhada pelo comitê dedicado à pauta, inclusive, como tema de discussão central nos congressos da associação, estabelecendo conexão direta com a saúde única”, ressaltou.

Guia

O manual aborda o uso racional de antimicrobianos no ambiente clínico da Medicina Veterinária, com destaque para resistências bacterianas específicas causadoras de doenças em cães e gatos. Além disso, expõe as estratégias de controle e prevenção das infecções, os métodos diagnósticos, as medidas preventivas, cães e gatos como hospedeiros de bactérias resistentes, diretrizes para o diagnóstico das infecções e prescrição veterinária, entre outros.

“Para nós, foi uma honra colaborar com este projeto junto ao Mapa e à Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). A resistência bacteriana aos antibióticos atingiu seu alerta máximo no mundo e o médico-veterinário precisa assumir sua responsabilidade dentro da saúde única de maneira definitiva”, disse Rabelo, selecionado por meio de processo seletivo do Mapa para elaborar o guia.

O guia faz parte das ações do ministério no âmbito do Projeto Trabalhando Juntos para Combater a Resistência aos Antimicrobianos (EU-OPAS/OMS/OIE/FAO) e do Plano de Ação Nacional de Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos no âmbito da Agropecuária (PAN-BR Agro).

Outros guias a serem divulgados pelo Mapa são: o Guia de Uso Racional de Antimicrobianos para a Pecuária Leiteira (bovinos, ovinos e caprinos) e o Guia de Uso Racional de Antimicrobianos para a Avicultura de Postura.

Medicina Veterinária, Zootecnia e Antimicrobianos

Resistência aos Antimicrobianos (RAM ou AMR, na sigla em inglês) é considerada, por pesquisadores e estudiosos, uma das maiores ameaças ao tratamento de várias doenças e à saúde pública. O uso indiscriminado de antimicrobianos em humanos e animais é considerado a principal causa do desenvolvimento e disseminação da RAM, superando a capacidade dos laboratórios e das indústrias de produzirem novas drogas. Além disso, a falta de água potável e saneamento, a prevenção e o controle inadequados de infecções promovem a disseminação de microrganismos, alguns dos quais podem ser resistentes ao tratamento.

Assim como outros profissionais de saúde pública, os médicos-veterinários devem estar atentos ao uso de antimicrobianos. Desde a avaliação sobre a real necessidade de aplicá-los, passando pela escolha da substância, a forma de prescrição, a orientação àqueles que medicação os animais – pets, silvestres ou de produção – até a conduta para a destinação dos resíduos das substâncias.

Como profissional de saúde única (humana, animal e ambiental), o papel do médico-veterinário também é relacionado ao apoio e à promoção de ações de uso responsável dos agentes antimicrobianos e de controle e prevenção da resistência de microrganismos patogênicos.

Os zootecnistas também têm um papel fundamental no enfrentamento da RAM. Ao promover a produção animal sustentável, a adoção das boas práticas agropecuárias e o bem-estar dos animais, bem como ao garantir uma nutrição de qualidade e com isso atingir um score corporal adequado e higidez física, os zootecnistas contribuem diretamente na prevenção das infecções dos animais, no adequado grau de bem-estar e, como consequência, na redução da necessidade do uso de antimicrobianos.

Departamento de Comunicação do CFMV, com informações do Mapa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.