O Dr. Lira nasceu em 26 de outubro de 1943, na cidade de Regeneração no Estado do Piauí e nos deixou em 06 de junho de 2020, na Cidade do São Salvador da Bahia de Todos os Santos (como costumava dizer) à qual adotou como sua terra, baiano por opção. Filho de Cristino e de Maria Lourdes Silva Lira.

Graduou no ano de 1967 em Medicina Veterinária, na Escola de Medicina Veterinária da Universidade Federal da Bahia, deixando o rastro de aluno brilhante, líder e formador de opinião.

Em 1968 integrou a primeira equipe de técnicos constituída para formar o Grupo Executivo de Erradicação da Febre Aftosa na Bahia (Gerfab), nomeado para ser o Chefe da Sub-área de Itambé, implantando aí a primeira semente do programa de erradicação da enfermidade no Estado, procedendo o cadastramento das propriedades rurais, planejamento da vacinação sistemática, controle de trânsito de animais e produtos, educação sanitária, promoção e divulgação, vigilância epidemiológica e treinamento do pessoal. Iniciou assim sua carreira de epidemiologista, sempre ligado aos trabalhos de campo.

Em 1971, com a implantação do Plano Nacional de Controle da Febre Aftosa, foi nomeado pelo Ministro da Agricultura, para ser o primeiro Executor do Gecofa-BA, Grupo Executivo do Combate à Febre Aftosa, dando total dinamismo e ampliando as ações da campanha para as diversas área do Estado da Bahia.

Seu trabalho foi tão intenso e eficiente, que foi convocado pelo Coordenador Geral da CCFA (Coordenação Central de Combate à Febre Aftosa), Dr. Ubiratan Mendes Serrão para, em Brasília assumir a Assessoria de Trabalhos de Campo com extensão nos Estados componentes do Programa Nacional.

Posteriormente, em 1974 foi nomeado pelo Presidente da República Ernesto Geisel, para o Cargo de Diretor da Dema-ES, Diretoria Estadual do Ministério da Agricultura no Estado do Espírito Santo (hoje Superintendência Federal). Modernizou as ações do Ministério no Estado, dinamizando e consolidando as ações de erradicação da febre aftosa e de controle de outras enfermidades animais e vegetais nas culturas de valor econômico.

Daí foi alçado novamente para Brasília a convite do Ministro Allysson Paolinelli, na qualidade de seu Assessor e Diretor Geral do Departamento Nacional de Produção Animal, para estudar, propor e implantar a nova estrutura organizacional do Ministério da Agricultura, que criou entre outras, a Secretaria Nacional DE Defesa Agropecuária, sendo o seu primeiro titular, Secretário Nacional no ano de 1977.

Implantou a rede de laboratórios de diagnóstico e de pesquisa capitaneada pelo Laboratório Nacional de Referência Animal (Lanara), em Pedro Leopoldo, Minas Gerais, com laboratórios regionais em todo o País. Igual estrutura implantou na área vegetal: Laboratório Nacional de Referência Vegetal (Lanarv) e os correspondentes laboratórios regionais.

Em maio de 1978, o Brasil foi surpreendido com um surto da Peste Suína Africana, que foi erradicada graças as ações emergenciais, sob sua condução e ao elevado espírito público, personalidade e altivez. Constituindo assim a segunda enfermidade animal erradicada do território brasileiro, sendo a primeira a Peste Bovina (Rinderpest).

Retornando à Bahia exerceu diversos cargos importantes, inclusive de Diretor Geral do Instituto Biológico da Bahia – IBB, Diretor Técnico da Defesa Sanitária Animal do Ministério da Agricultura, Chefe de Gabinete da Secretaria de Minas e Energia, Assessor Parlamentar da Assembleia Legislativa e Presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária da 10ª Região, Bahia e Sergipe.

Profissionalmente ainda se destacou como Diretor Técnico da Associação Baiana de Criadores de Caprinos e Ovinos e da Associação Baiana de Criadores.

Sempre atuou em eventos nacionais e internacionais, ligados à profissão, a exemplo do Congresso Pan-Americano de Buiatria, em 1993 e do Congresso Mundial de Buiatria, ambos realizados em Salvador, Bahia.

Representou o Brasil em diversas oportunidades na Organização Pan-americana e na Organização Mundial de Saúde, bem como na OIE – Organização Mundial de Saúde Animal.

Como especialista em epidemiologia, participou em campanhas de combate a doenças, notadamente a Febre Aftosa.

Em 1999 foi convocado pelo Governador César Borges, para estruturar a Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), da qual foi o seu primeiro Diretor Geral até o ano de 2002, deixando o Estado da Bahia na situação de “livre da febre aftosa com vacinação”, reconhecida pela OIE – Organização Mundial de Saúde Animal. O Estado da Bahia à época era considerado como Referência Nacional e Internacional e era base para treinamento de profissionais do Brasil e do Exterior em enfermidades exóticas, emergência zoossanitária e epidemiologia.

Foi Diretor da Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária e sempre gozou da admiração dos seus pares, dos profissionais Médicos Veterinários brasileiros e do exterior, dos produtores rurais e empreendedores do agronegócio e das altas autoridades do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento.

Foi Paraninfo de algumas turmas do Curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal da Bahia. Era Comendador da Ordem do Mérito da Medicina Veterinária Brasileira, outorgada pela Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária. No ano de 2005 foi condecorado com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito da Medicina Veterinária Brasileira durante Sessão Solene da Assembleia Legislativa do Estado do Piauí, que implantava naquele momento nova fase do Programa de Erradicação da Febre Aftosa no Estado.

Foi Acadêmico Titular Fundador da Academia Baiana de Medicina Veterinária. Ocupou a Cadeira Nº 06 que tem como Patrono o Professor Francisco Salles de Almeida.

O profissional, amigo e irmão Lira possuía no seu DNA a capacidade de multiplicar amigos através do seu deslumbrante talento e inquestionável facilidade de convivência com o ser humano, tendo como norteador o respeito, o profissionalismo e sobretudo a ética. Seu caráter, sua generosidade e humildade contaminavam o ambiente de trabalho a ponto de ter sido considerado pelos seus colegas, como um grande mestre.

JOSÉLIO DE ANDRADE MOURA

Presidente da Academia Brasileira de Medicina Veterinária

JOSÉ CARLOS DE ANDRADE MOURA

Acadêmico Titular Academia Brasileira de Medicina Veterinária

 

Homenagens apresentadas:

René Dubois

“José Alberto da Silva Lira, na sua trajetória profissional, engrandeceu a Medicina Veterinária Brasileira, não somente pela sua competência e liderança, mas sobretudo pela sua integridade. No que concerne à Defesa Sanitária Animal, nunca admitiu concessões. Líder autêntico, inspirava a sua equipe ao melhor desempenho das suas tarefas. Foi assim que liderou o processo de erradicação da peste suína africana no Brasil.

Não sei o que seria mais admirável na marcante personalidade do Lira, se a competência profissional, se a lealdade do amigo, se a sua contagiante alegria de viver.

Durante mais de meio século construímos uma sólida amizade, juntos enfrentamos memoráveis desafios em defesa da veterinária.

A Medicina Veterinária Brasileira está de luto, mas a morte não apagará a marca que ele deixou registrada na nossa lembrança e nas páginas da história da veterinária.

Solidarizamo-nos com os seus familiares e prestamos nossa homenagem a sua memória”.

Paulo Afonso Romano – Ministro e Secretário Geral do Ministério da Agricultura 07/06/2020] Paulo Romano: Boa tarde, amigo Joselio.

Sabia da difícil condição de saúde do amigo Lira e agora de sua partida.

Através de você transmito à família e a tantos amigos que ele conquistou os sentimentos.

E só tenho boas lembrança dele como colega de trabalho no MAPA (1974/79) sempre se revelando pessoa de personalidade firme, justa, assertiva, alegre destemida, acolhedora, patriota e fraterna.

Saudade de Lira.

Lira, você, René e Joaquim me introduziram na cultura baiana. Sou muito grato. Abraços

Eduardo Campelo – Chefe da Controladoria do Ministério da Agricultura e uma das autoridades e líderes daquela Pasta.

“Josélio. Você bem sabe o quanto eu fui amigo do Lira. Te peço que faça chegar aos valorosos veterinários e a família dele os meus votos de saudade, respeito e admiração. Que Deus o tenha bem próximo. Esse cara valeu a pena ser amigo dele.

FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO ESTADO DO PARÁ – SISTEMA FAEPA/SENAR/FUNDEPEC

Profundamente consternado, o Sistema FAEPA/SENAR/FUNDEPEC cumpre o doloroso dever de participar aos Diretores, Coordenadores de Núcleos, Consultores e Presidentes dos Sindicatos de Produtores Rurais, assim como às autoridades e à sociedade em geral, o falecimento do Médico Veterinário JOSÉ ALBERTO DA SILVA LIRA, ocorrido ontem no Estado da Bahia. A vida desse pranteado técnico, a quem muito deve a medicina veterinária brasileira, foi ponteada por ações meritórias no âmbito de sua especialidade, com destaque para a erradicação da “Peste Suína Africana” onde sua participação foi decisiva. Representou o nosso país em diversos Fóruns Mundiais, inclusive a OIE e a Comissão Sul Americana para Febre Aftosa. Nós, do Pará, somos devedores à sua prestimosa colaboração no assessoramento prestado à implantação dos programas de combate à febre aftosa e criação da ADEPARÁ – Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará, sendo de justiça atribuir ao seu trabalho a erradicação dessa enfermidade animal aqui e na Bahia. Também a ele devemos seu trabalho desenvolvido no Arquipélago do Marajó a quando do registro de casos da Peste Suína Clássica.

Nos associamos às manifestações de pesar que se registram em todo o Brasil pela morte de JOSÉ ALBERTO DA SILVA LIRA, piauiense de nascimento, mas autêntico brasileiro que viveu pela sua Pátria. Apresentamos nossos pêsames aos seus familiares e unimos nossas orações para que sua alma descanse em paz.

 José Carlos Moura: Faleceu hoje o Dr. José Alberto da Silva Lira.

Quem teve a oportunidade de conviver o a pessoa do José Alberto Lira, sabe que o Lira era um GUERREIRO, um SÁBIO, um AMIGO, um EXEMPLO não
só como PAI, mas sobretudo, como COLEGA e, muito fez pela MEDICINA VETERINÁRIA brasileira.

A Academia Baiana de Medicina Veterinária perde. A Medicina Veterinária brasileira perde. Entretanto, nós amigos do LIRA continuamos com ele eternamente nas graças de DEUS.

UnB Cristiano: Nossa! Que pena… realmente uma figura. O Brasil perdeu. Que o Bom Deus receba o Lira de braços abertos e conforte a sua família. lamento muito.

 William Vale: Grande figura humana, sempre alegre e prestativo. Que descanse em paz.

José Cezar Panetta: Muito triste o passamento do amigo Lira. Sempre terei viva a pessoa amável, atenciosa, o profissional sério, competente, sua doação total à Veterinária Brasileira. Vai deixar muita saudade para nós todos. Nossos sentimentos à sua querida Família.

 Phyllys Catharina Romijn: Meus sentimentos à família e amigos. Sou grata pelos ensinamentos de vida que deixou entre nós.

Luciano Figueiredo: A Medicina Veterinária Brasileira perde um grande nome.Os amigos perdem um grande companheiro, os colegas sentem profundamente sua partida. Lira foi-se! Mas no rastro da sua trajetória deixa gravado com louvor e méritos os passos da sua honrada existência. Que Deus lhe dê Paz. Luciano.

Silvestre Gorgulho “Mestre Lira: No nosso encontro de 30 Anos da posse do ministro Paolinelli – 15 de março de 2004 – o Lira fez um discurso maravilhoso. Está no pendrive que eu gravei. Não tenho como mandar no WhatsApp, como gostaria”.

Marilena a Paulo Emílio: “Sou testemunha, Paulo, das diversas vezes que vc homenageou Lira em todos os grandes eventos que você organizava relativos à Defesa Agropecuária e festas de confraternização. Em todas essas datas, lá estava ele.

Ana Elisa Almeida: “Homenagem ao nosso amigo Lira em sua passagem para a vida eterna!!! Descanse em paz, querido amigo! Você foi e será sempre um grande exemplo para todos nós, que aqui ficamos, para completar nossa missão!!! Uma grande perda para a Medicina Veterinária. Que Deus conforte toda a família. Isso mesmo Dr. René! A Medicina Veterinária e nós seus amigos, perdemos um grande colega de luta mas que deixa um grande legado a ser seguido e referenciado!

Frederico Presidente da ABAMEV para Marilena “Obrigado, Marilena!!!

Obrigado pelo apoio e pela presença!!! Obrigado, Moura, pela justa homenagem!!!
Marilena, gostaria q aquela homenagem q Moura construiu chegasse à família de Lira!!! Será que eles tiveram a oportunidade de ver”???

Marilene expressando os agradecimentos da Família do LIRA “Obrigado meus queridos familiares e amigos, agradecemos em nome de Helenice, Luccas e Sara de todo o coração todas as lembranças e palavras de conforto, que nesse momento são tão importantes. Nosso Lira descansou no senhor e está em paz e alegria. Mensagem enviada por Lene para o grupo.

Max Resende “Uma grande perda para a Medicina Veterinária. Que Deus conforte toda a família.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.