O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Bahia (CRMV/BA) lamenta o falecimento do médico-veterinário  Everaldino Celestino dos Santos, sepultado hoje (24 de agosto) às 11h da manhã.

Natural de Salvador, ele se graduou em Medicina Veterinária pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) em 1979.

Trabalhou  no Grupo Executivo de Erradicação da Febre Aftosa da Bahia (Gerfab), Instituto Biológico da Bahia (IBB), Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA) e na  Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), onde deixou muitos amigos.

Everaldino Santos também se dedicou ao magistério superior, tendo sido professor na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) e na Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), lotado no Departamento de Ciências Médicas (DCBio) da Instituição.

Ele estava doente e faleceu ontem (domingo, 23 de agosto) às 15h30.  Era viúvo e  deixa dois filhos e três netos.
Aos enlutados, a solidariedade do CRMV/BA.

 


Uma pessoa séria, madura e legal, diz amigo

Amigo há mais de quarenta anos de Everaldino, o também médico-veterinário Ivan Quaresma, fez questão de deixar o seu testemunho:

“Estou muito triste com a notícia, vínhamos acompanhando sua internação no Hospital Santa Isabel, ele tinha a Covid-19.

Nós  morávamos e trabalhávamos   na cidade de Itapetinga, sudoeste da Bahia, onde funcionava  a  sede do  Grupo Executivo de Erradicação da Febre Aftosa da Bahia (Gerfab)  .

Não foi apenas um excelente colega, mas também um bom amigo.

Everaldino fez carreira no serviço público, chegando a coordenador de Brucelose e Raiva no Gerfab,  atuou também no Instituto Biológico da Bahia (onde exerceu cargos de confiança), e se aposentou na Secretaria de Agricultura do Estado da Bahia.

Quando a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) foi criada com  três Campi (Vitória da Conquista, Jequié e Itapetinga), fizemos parte do corpo docente pioneiro do curso de Zootecnia em 1982, no Campus de Itapetinga.

Foi um bom professor da Uesb e da  Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs).
Era uma pessoa simpática, carismática, madura, e acredito que escolheu ser médico-veterinário por ser um homem que gostava do campo.

Era sério no trabalho, se empenhava muito, era solidário e sempre falava o que achava justo, sem se intimidar com a chefia ou menosprezar os colegas.

Pai de família exemplar, viúvo de Telma, pai de Ricardo e de Roberto, quero dar meu testemunho  que ele foi um homem de grande lealdade, mas nunca submisso”, finalizou com voz embargada.

3 thoughts on “Nota de pesar – Everaldino Celestino dos Santos

  1. Nesta oportunidade deixo meu testemunho é faço minha as palavras do colega Ivan Quaresma sobre Everaldino.
    Meu nome é Paulo Leão, tbm sou Médico Veterinário e convivi com Everaldino por longas datas,pois trabalhamos juntos no GERFAB, IBB e na SEAGRI, além de outra amizades pois nossos Pais eram Amigos.
    Excelente colega, passeiro bom de viagens durante os trabalhos, sempre cooperando no exercício profissional.
    Peço a Deus que o acolha num bom lugar é conforte seus filhos por tá o grande perda.

  2. Começamos juntos o curso de Medicina Veterinária em 1973, como estudantes e depois na EBDA como profissionais.
    Um bom homem, bom colega e excelente pessoa.
    Deus te conduza ao um bom lugar. Um alento a toda familia.

  3. Um ser humano carismático e gentil. Bom professor… Nosso primeiro contato no curso de Ciências Biológicas Da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), sendo professor do Departamento de Ciências Biológicas (DCBio), ministrava Métodos e Técnicas em Laboratório, nos conduzindo ao primeiro contato com metodologia científica. Que Deus conforte a família e o acolha num bom lugar, pois com certeza Prof. Everaldino é merecedor de muita paz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.