A Secretaria Municipal de Saúde divulgou um documento técnico orientando como deve ser feita a notificação de Esporotricose, doença que pode atingir pessoas e animais.

A princípio, a notificação não é obrigatória  em Salvador,  mas a comunicação é fundamental para  o mapeamento das ocorrências.

Na nota a Diretoria de Vigilância da Saúde explica sobre os critérios de confirmação de diagnóstico, que pode ser por exame clínico, quadro epidemiológico ou exame laboratorial. As amostras clínicas devem ser encaminhadas ao LACEN, Laboratório Central de Saúde Pública, na Rua Valdemar Falcão em Brotas/ Horto Florestal.

O documento lembra a ocorrência de  16 casos suspeitos em humanos e 04 confirmados casos em felinos entre 2015-2016 de na cidade de Camaçari. Também estão elencadas recomendações para evitar a contaminação e transmissão de novos casos.

Neste quadro, o médico veterinário de pequenos animais ocupa uma posição de destaque em ser um dos primeiros a detectar quaisquer ocorrências.

Para ter acesso à nota clique aqui.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.